Por que o Dia Nacional do Trânsito foi criado?

O Dia Nacional do Trânsito foi instituído a partir da criação do Código de Trânsito Brasileiro, em setembro de 1997. A fim de conscientizar os condutores e população em geral, todos os anos um tema específico é debatido ao longo de toda a Semana do Trânsito. Os temas abordados são escolhidos pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

O Brasil é um dos países com mais acidentes de trânsito, onde morrem por ano aproximadamente 40 mil pessoas. Algumas das maiores causas de acidentes são o excesso de velocidade, a embriaguez e o uso do celular enquanto dirige.

É essencial o ensino de atitudes de respeito, precaução e responsabilidade no trânsito, para que as estatísticas alarmantes de acidentes nas estradas possam mudar.

A iniciativa da criação do Dia Nacional do Trânsito se deu para o reforço de campanhas de conscientização e respeito às novas leis regulamentadas pelo CTB. Na década de 1990, algumas leis estavam ultrapassadas com relação à rápida evolução de comportamento da sociedade.

O novo código veio para substituir leis pouco eficazes e, teoricamente, dar mais segurança a todos que utilizam o trânsito (pedestres, veículos, animais). Assim sendo, o Dia Nacional do Trânsito é só mais um reforço à ideia de segurança e eficiência que deve existir nas vias públicas e privadas do país.

Trânsito no Brasil

A Semana Nacional do Trânsito, em conjunto com o Dia Nacional do Trânsito, corresponde a uma série de medidas dos órgãos competentes nesse assunto para tornar o deslocamento de pedestres, veículos e animais mais seguro para todos.

Essas medidas são importantes porque trazem à tona estatísticas tristes que existem no trânsito. O número de acidentes envolvendo vítimas fatais é maior do que o número de pessoas que morrem de câncer no país. A imprudência associada ao consumo de drogas e/ou bebidas alcoólicas mais o desrespeito às leis de trânsito tornam o Brasil um dos países com os maiores índices de letalidade no deslocamento nas vias.

Alguns fatores podem ser mencionados para explicar tal letalidade:

  • uso do celular enquanto dirige;
  • excesso de velocidade;
  • não uso de indicadores de segurança dos veículos, como setas e acendimento dos faróis;
  • desatenção na manutenção veicular, chegando a trafegar com pneus carecas, por exemplo.

De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), em 2015 morreram 38.651 pessoas nos acidentes de trânsito no Brasil, sendo 70% delas em acidentes de carro ou motocicleta. Entretanto, há também uma boa notícia nos dados do Observatório. Se comparado com o ano anterior (2014), houve uma queda no número de acidentes, e isso vem ocorrendo nos últimos anos, mas há ainda muito a se fazer.

Fonte: Brasil escola

Fechar Menu
W3Schools